W3Schools
Foto: Hotel Fazenda Florença

Como consequência da pandemia da Covid-19, oito funcionárias de um hotel fazenda no distrito de Conservatória, em Valença, no Sul do Rio de Janeiro, como muitos brasileiros, precisaram se reiventar. Trocaram as funções de camareiras e recepcionistas pela lavoura, colhendo grãos de café.

No auge da pandemia, com a implantação dos decretos de fechamento de hotéis e pousadas na região, o medo delas era perder o emprego. Para não precisar demiti-las, o dono do estabelecimento resolveu aproveitar as mulheres em outro setor.
No período de colheita, que este ano foi em março, nós costumamos contratar pessoas de fora por três meses para a colheita de café. Mas nesse caso, por que contratar se podíamos continuar com as nossas funcionárias? Não é um trabalho pesado, como capinar, é algo que requer dedicação e capricho. E isso foi feito, explicou o proprietário do hotel fazenda, Paulo Roberto dos Santos.

Essa mudança temporária de função rendeu às mulheres uma gratificação e tanto. O hotel venceu um concurso nacional que incentiva a participação de mulheres na cafeicultura regional. Os grãos colhidos por elas passaram por uma bancada de jurados, que avaliaram a qualidade do café.

O estabelecimento ganhou o prêmio de melhor café natural do Estado do Rio de Janeiro. A premiação aconteceu de forma online, no inicio de dezembro.

Para o dono do estabelecimento, a vitória foi conquistada por muitas mãos. "O título não é só da fazenda, ele é delas", disse Paulo Roberto.

Fonte: G1

Deixe seu comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem