W3Schools
Foto: Inea

A equipe do Refúgio de Vida Silvestre Estadual do Médio Paraíba (Revismep), unidade de conservação administrada pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), avistou um lobo-guará (Chrysocyum brachyurus) próximo à sede da unidade de conservação, em Valença.

O animal é ameaçado de extinção e, recentemente, ficou mais famoso por estampar a nota de R$200 criada este ano.

O Refúgio de Vida Silvestre Estadual do Médio Paraíba é uma área sob regime especial de gestão que visa proteger ambientes naturais onde se asseguram condições para a existência ou reprodução de espécies ou comunidades da flora e da fauna residente ou migratória.

A unidade de conservação fica localizada entre os municípios de Barra do Piraí, Valença, Vassouras, Rio das Flores, Resende, Itatiaia, Porto Real, Quatis, Barra Mansa, Volta Redonda, Pinheiral, Paraíba do Sul e Três Rios.


Lobo-guará


O Brasil concentra 90% de exemplares da espécie e, apesar de ser endêmico da América do Sul, típico do Cerrado e dos Pampas, cada vez mais os lobos-guará estão aparecendo na Mata Atlântica. Isso ocorre pela perda de habitat natural em decorrência da expansão de áreas agrícolas e urbanas.

“O lobo-guará é um animal que está migrando há bastante tempo e vindo intensamente para a Mata Atlântica. Como o Estado do Rio de Janeiro concentra esse bioma, temos visto alguns locais de ocorrência da espécie”, explica o gestor da unidade de conservação, Ricardo Wagner.

São cada vez mais comuns notícias de lobos-guará deslocando-se para centros urbanos, e a razão é por ele ser um animal que anda em área aberta. “Ele não é um animal de floresta fechada, e sim um animal oportunista. Por ser onívoro, ele se atrai e está sempre em busca de alimento”, acrescenta Wagner.

Maior canídeo da América do Sul, o lobo-guará apresenta uma coloração avermelhada, longas patas finas e longas orelhas.

Considerado em estado de vulnerabilidade pela lista vermelha do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e em risco de extinção, as principais ameaças ao lobo-guará são caçadores, atropelamentos e a degradação do habitat natural por atividades resultantes da ação humana. Por isso, são essenciais políticas de preservação da biodiversidade.

Fonte: JBP

Deixe seu comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem